Safra difícil? Estamos prontos.

IMG_9183 copia

Eu vou ser banal, mas nessa estacão, que não parece o verão, temos que falar principalmente do tempo, mas com esses dados divulgados pelas empresas meteorológicas italianas, vocês vão poder entender do que estou falando:

Devido aos  persistentes fluxos Atlânticos no Piemonte,  julho de 2014 está se cadastrando nos arquivos como um mês definitivamente fresco, embora não excelente, com temperatura média mensal de 22,6 ° C em Turim, 1,8 ° C abaixo da média das três décadas de 1981 à 2010. A frescura que não fomos acostumados nos últimos verãos, acabaram sendo cada vez mais quentes, mais semelhantes ao meses de Julho de 1993 (média de 22,3 ° C), 2000 (22,6 ° C) e 2011 (22,8 ° C).
Ao contrário das pluviosidades extraordinárias, tanto em quantidade que em frequência: em Turim (ARPA a estação de Giardini Reali) 242 mm no total, mais de quatro vezes o padrão normal, e o segundo julho mais chuvoso desde 1803 depois do caso de 1826 (255 mm). Foram 13 dias de chuva, em quanto que o normal seria 6: dos 2 últimos séculos, a frequência de chuva, alta deste jeito, foi somente observada no mês de julho de 1906 (13 dias de chuva) e de 1932 (14 dias).

 IMG_9182 copia

Nas fotos teremos  uma idéia de como passamos o mês de junho e julho, embora pareça  que a instabilidade está continuando. Outro ano de 2002? Eu quero ser otimista e esperar um mês de agosto/setembro quente. Outra nota positiva é que, apesar da incrível quantidade de chuva e o granizo de meados de julho, os ataques de fungos foram limitados e aos poucos imediatamente erradicados. Comparado ao ano passado, fomos mais atenciosos, sem subestimar nada, tratando com enxofre mas especialmente com cobre, de forma precisa e contínua. A mudança de pensamento para uma agricultura mais respeitosa ao meio ambiente, que pode criar algumas dificuldades, nos demonstrou mais uma vez este ano, que estávamos no caminho certo, mas o nível de atenção e observação das vinhas deve ser rigoroso: isso para mim é qualidade.

 IMG_9176 copia

Os primeiros cachos de Dolcetto estão mudando de cor, o que significa que, apesar da dificuldade  de ver o sol,  as plantas estão decidindo continuar à amadurecer. Precisaria de somente um mês de verdadeiro calor, para recuperar o tempo perdido. Até hoje parece uma vindima complicada e longa, mas como sabemos, tudo pode mudar rapidamente e as previsões podem virar de cabeça para baixo.

Invaiatura sul dolcetto

Invaiatura sul dolcetto

Amadurecimento e mudança de cor no dolcetto

Este ano mais do que nunca, o arrelvamento das linhas das vinhas e a decisão de colocar cevada entre as linhas de certos vinhedos, está demonstrando um sucesso: o solo drena bem a água, e o equilíbrio do solo das vinhas, está se tornando  um triunfo. Em particular San Bernardo onde há cinco anos foi considerado o vinhedo mais vigoroso, foi aparado apenas 2 vezes e os cachos apresentam mais conteúdo em quantidade e em tamanho.

Peronospora in via di guarigione su foglie

Peronospora in via di guarigione su foglie

Míldio nas folhas se curando